quarta-feira, novembro 15, 2006

Acorda! Pensa! Vive!

O Teatro Miguel Franco acolheu, no passado dia 10, assinalável moldura humana, à qual não terá sido alheio o facto de o Fade In 2006 trazer à cidade uma performance multimédia escrita e com música dos franceses Von Magnet, que naquele preciso espaço (e então no decorrer do Fade In 2004) empreenderam memorável e soberba prestação. Deadline Now!, magistralmente interpretada pela companhia de teatro Persona, de Santa Maria da Feira, foi um autêntico “murro no estômago” e um verdadeiro rastilho no deflagrar de sentidos e emoções. Os onze actores dos Persona fizeram do palco do Miguel Franco um fiel retracto da sociedade de informação, na qual, muitos de nós, se sente embrenhado. Um verdadeiro bombardeamento de sons (a música foi composta exclusivamente para esta peça!) e imagens (projectadas no tecto e em três telas), serviram de pano de fundo a uma performance com um desempenho físico notável, que fundiu num só espectáculo, a componente dramática do teatro e a expressão artística corporal da dança contemporânea. Deadline Now!, que agora será apresentado numa série de datas em território francês, foi, durante os cinquenta e seis minutos que dura, um vendaval, um corrupio, um abanão, um gigante apelo à reflexão colectiva de como a sociedade actual gere a sua existência. Foi uma real alegoria crua e dura sobre o quanto somos reféns dos telemóveis, das televisões, do excesso de informação que todos os dias absorvemos e que, a curto prazo, nos poderá levar à alienação total. Deadline Now!, superiormente interpretado pelos Persona (que demonstraram, peremptoriamente, ser uma companhia verdadeiramente multidisciplinar) é muito mais que uma peça de teatro (onde, curiosamente, as palavras têm papel decorativo e secundário…). É um exercício filosófico onde metaforicamente nos agarram pelos colarinhos e nos gritam: Acorda! Pensa! Vive! CM, In JORNAL DE LEIRIA - OUT’06 (extraído do site do festival Fade In)

1 comentário:

Sid disse...

Se a Florbela Espanca,
o Mário Mata,
o Jorge Palma,
o Armando Gama...
O que é que a Rosa Lobato Faria?
Bem...
Talvez a Zita Seabra para o António Peres Metello!